domingo, 15 de fevereiro de 2009

Não é só Jesus que ressuscita !

Morreu e ressuscitou. Não estou me referindo à Jesus, mas sim à minha avó paterna. Digo paterna por ser mãe do meu pai. Na realidade acho que esta explicação é um tanto quanto desnecessária quando as pessoas entendem a palavra 'paterna', mas mesmo assim, prefiro explicá-la para garantir que há uma compreensão do meu telespectador. Com toda esta definição acabei por dizer nada da mulher a quem me refiro.
Mãe viúva de 3 filhos. Viúva e espiritualmente morta também, a partir da morte de seu amado e misterioso - pelo menos para mim que não tenho nenhuma informação do tal mesmo sendo sua neta - marido. Nem seu nome eu sei. Mas sei que foi muito importante para minha avó, porque depois dele, como já disse, ela não existia mais.
Os anos se passaram e seus filhos cresceram. Foram deixando a casa aos poucos, porém, deixaram pouco para a casa também. Era apenas ela e as suas paredes. Muitas paredes, pouca mobília, pouco sentimento, pouca presença, pouco tudo. Quando muito, visitava sua irmã - e também vizinha - e sua mãe (que vinha de brinde) ou ia à igreja. Mesmo assim, não via a animação dela em relação à nada. Na realidade, tão pouco existia animação ou qualquer outra forma de sentimento nela.
Mais alguns anos se passaram nesta vida desorientada. Sem rumo, sem chão, sem nada. Anos que custaram a passar, anos que valeram por milenios. Tá legal, acredito que já tenham entendido a boçalidade destes anos passados.
Ela ficou doente, bem doente. Acreditei por algum tempo que iria morrer. Morrer por fora, porque por dentro já estava morta fazia um tempo. Não sei o que foi descoberto, mas sei que até hoje ela faz hemodiálise (será assim que se escreve?) toda semana e que não pode comer doces ou salgados, não pode beber suco, água ou café. A partir deste novo estágio da sua velha vida, não via mais sentido em realmente nada. E eu, mesmo estando por fora de tudo, também não via mais sentido. Aprendi - sei lá com quem - que quando perdemos a razão de ser, ou quando perdemos a liberdade, talvez o que há de melhor para nós mesmo seja a morte. Seja a morte de um estágio ou a morte de tudo. Contudo, o que precisamos nestes momentos são mudanças.
Infelizmente, não foi o que aconteceu com ela (me refiro às mudanças). Continuou apenas na Terra, mas sem viver.
Cada visita que fazia a ela, era mais uma facada no meu coração opaco. As facadas iam até um lugar que nem eu consigo sentir, elas iam à minha alma facilmente. Cada vez que a via, era a maior nostalgia. Estaria eu desprezando a minha avó querida? A minha raíz? Estaria ela pedindo para morrer e ninguém estava a escutando?
Tem sido assim para mim, cada visita que faço à ela, é uma chance da tristeza também vir para me visitar. A pior parte é que esta visita demora muito tempo à passar.

Ontem fui visitá-la novamente, já sem muitas esperanças. Todavia, inacreditavelmente, ela estava melhor. Muito melhor. Ria das minhas piadas sem graça ou de qualquer outra. Assistia à televisão com a mesma empolgação que eu tenho quando assisto as minhas amadas temporadas de Friends. Uma luz nos olhos dela. Uma luz nunca vista antes. Uma luz que entrou pela minha alma, e entrou para ficar. Da mesma forma que a tristeza costumava fazer. Todo este renascimento ocorreu devido à nova enfermeira que a minha velhinha tem. Parece que a mulher leva a ela pelo menos um pouco da alegria que eu nunca levei. Será isso um complexo de culpa que eu tenho ? Talvez.
Mas agora, ela está feliz, ela está viva. E eu também.

Sabe, toda essa história me deu um pouco mais de esperança na vida e no mundo.
Vivemos esperando dias melhores ...


(E a melancolia toma conta do meu blog, próximo post talvez seja sobre os desastres climáticos que eu citei no último.)

15 comentários:

Bárbara Fróis disse...

Espero que sua avó fique bem melhor do que ela se encontra. ;)
Pois é ontem eu tava meiiio nostalgica, no post anterior eu disse do que estava passando. Lê lá.
Bejos

Youko Watanabe disse...

Ai, bom ter novamente essa luz nos olhos. Esse "reviver" da sua avó...
Li seu outro post tbm.. hum, ja tive esse mesmo tipo de amizade.. ain.. deu ate uma dorzinha no coracebo..

beej's flor..

Thaís A. disse...

Ah, que lindo Cah :)
Eu achava que ela ia morrer, sei lá.
E concordo com você, qaundo a gente perde a liberdade e tudo mais, talvez a morte seja o melhor caminho :/

Depois a gente conversa, HIHI ♥

Thaís A. disse...

Ah, que lindo Cah :)
Eu achava que ela ia morrer, sei lá.
E concordo com você, qaundo a gente perde a liberdade e tudo mais, talvez a morte seja o melhor caminho :/

Depois a gente conversa, HIHI ♥

Marcela disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Marcela disse...

Com certeza a sua vó não é o unico caso desses no mundo.Pelo menos ela está se recuperando, reencontrando a vida.Porém existe mesmo muita gente(jovens inclusive) que morre lentamente todos os dias e o pior sem motivos.
Que bom que existem casos como o da tua vó para provar que NUNCA é tarde demais!beijos!

Yaas disse...

AAAAAAAH que bom que ela melhorou. Eu realmente acredito que a igreja traz vida de volta para as pesssoas (:
Beijos :*

Patricia disse...

acho que quando um parente ou amigo nosso tristonho ou distante fica tão feliz com a gente, com a nossa presença o mundo fica colorido... e é muito bom que você continue dando força a sua avó. lindo lindo.

"viver é a maior dádiva do mundo, a maioria das coisas apenas existe" autor que eu não me lembro.

beijo

Pedro disse...

Que bom ler isso. Acho que quase sempre vale a pena levantar a cabeça e tentar olhar as coisas pelo melhor ângulo. ótimo que ela está mais animada, vê tv, de repente escuta um pouco de música. E, igualmente, que vocês podem fazer isso juntas.

beijo

Neo disse...

Oi..

Muito lindo. Profunda esta análise. Também escrevi sobre esta coisa de morte em vida. Quando a gente não vive, morre por não viver e por afetar os outros com nossa falta de vida.
Me enrolei? rss

Passando pra conhecer e gostando muito.

Beijo

Neo

Milena Shoji. disse...

Nossa, que história!
Maravilhoso, maravilhoso.
Espero que fique tudo bem com ela (com certeza, vai ficar)
Beeijo.

Nathália :) disse...

é oq a felicidade faz, salva a nossa alma! :) melhoras p a sua avó!

Thaís A. disse...

ABANDONOU ?

Tiffany disse...

fico muito feliz por ter lido esse final tão bonito!
as vezes quando estamos no fundo do poço encontramos felicidade nos mais pequenos detalhes.

Felipe disse...

ca, nossa mto bom!!
e meio q me indentifiquei cm
o texto e ag sei ou acho q sei o q preciso fazer!!e eh isso ai
"Vivemos esperando dias melhores ..."

saudades
amo vc
bjo