sexta-feira, 9 de janeiro de 2009

Férias!

Meu último post foi um tanto melodramático para o primeiro post do ano. Contudo, algumas vezes a vida nos traz tristezas e não temos como recusá-las.
De qualquer forma, ESTOU DE FÉRIAS! E o positivismo não pode sumir. Não que tenho estado muito ocupada nos últimos dias, mas em todos estes estava feliz. Assim como estou hoje. Férias são para mim um intervalo para digerir tudo que passei e vivi por um período e tudo que ainda vou passar e viver. Mudarei de escola e estou entrando no primeiro do colegial. Para mim pelo menos, é uma grande mudança. Estou agora arquivando no meu livro de memórias um colégio cheio de lembranças, histórias e principalmente grandes amigos. Estou ao mesmo tempo me acostumando com a idéia de entrar em um mundo novo, em um colégio novo, onde tenho alguns amigos, mas sei que conhecerei muitos outros.
Adoro esta idéia de mudança, de conhecer, de viver coisas novas. Acredito que o que eu realmente gosto é conhecer novas idéias e talvez encontrar esperança nas idéias alheias. Não estou dizendo que as minhas idéias não me tragam esperança, mas não me contento com pouco. Gosto de ver o mundo se mobilizando para novos pensamentos, novas idéias e novas emoções. O mundo precisa disso, de mudança.
Toda esta mudança deve ser feita, claro, com muuuuuuuuuita diversão. Boas férias para você! ;)

PS: E só para dar um pouco mais de clima de alegria, vou colocar aí um texto meu, espero que gostem.

RICOS SÃO OS FELIZES

Há alguns dias tenho visto uma cena tocante. Numa avenida, da qual não me recordo qual é, há um mendigo sentado, compenetrado no que escreve. Desligado do que se passa em sua volta. Vive em “seu mundo”.
Poucos o notam naquela calçada, mas tenho quase certeza de que quem nota-lhe sente dó. Dó é um sentimento muito forte, muito triste. Decidi então observar a cena de outro modo, decidi enxergar o que acontecia.
Com a minha nova visão sobre o acontecimento, consegui ver emoção, compenetração, fé e felicidade naquela imagem. O homem – mesmo tendo uma péssima renda econômica - não perdeu (apenas aflorou) seu dom de criar, de fazer a arte, de ser feliz.
Por meio dessa filosofia descobri o quão rico este homem é. Ele não é rico na visão “correta”, material. Contudo, ele é rico no sentido emocional, sentimental. Ele possui uma riqueza muito rara na sociedade atual, mas esta riqueza não é valorizada pelos pseudo-poderosos. Para mim poderoso mesmo é o mendigo: ele cria, é artista e é feliz. Quer mais o que?

6 comentários:

Thaís A :) disse...

Você não vai conseguir viver no seu novo colégio sem mim, HIHI ;)

Ah, sorte pra você Cah, e não me esqueça :B

O último texto tb tá lindo :)

Beijocas :*

biia benassi! (: disse...

adorei de novo caaah! (:

um beijo, te amo.

Camila :) disse...

RICOS SÃO OS FELIZES
éeh siim ,a bíblia diz isso,e eu assino embaixo hehe


bejoos

Thaís A :) disse...

Cah, ficou muito legal a montagem, como você fez? HAHAHA, já é profissa você mano.
te amo :*

Tatah Santini disse...

Gostei muito do teu blog, garota! E pra ser feliz não precisa de muito, não. A gente é que complica. Adorei o texto, bem realista! :)

Taciano disse...

Parabéns pelo seu modo de pensar! Gostei muito deste texto do mendigo! Você é uma pessoa boa, e fico feliz em saber que neste mundo existem pessoas como você! Parabéns e que Deus continue a lhe iluminar! Fique com Deus e uma ótima semana! Abraço!